“A seletividade alimentar está a aumentar e tem um impacto grave na saúde”